Informativo 05
 
     
 
 

UTILIZANDO O OXIGÊNIO (OXIGENOTERAPIA)

Os pacientes portadores de DPOC podem durante a evolução de sua doença vir a necessitar do uso do oxigênio. Esse uso do oxigênio no tratamento de determinadas doenças respiratórias, entre elas a DPOC, é chamado de oxigenoterapia. Veja no boletim abaixo algumas informações úteis sobre o uso do oxigênio na DPOC:

1 - Indicações do uso do oxigênio no tratamento da DPOC:

O emprego do oxigênio no tratamento da DPOC tem como única finalidade corrigir a baixa oxigenação sanguínea (hipoxemia) provocada pela doença. Tal fato pode vir a acontecer em dois momentos da doença:

  • Nas exacerbações da doença: nesse caso a queda da oxigenação sanguínea costuma ser temporária, ou seja, após a resolução da exacerbação (crise) a oxigenação normaliza. Assim, a oxigenoterapia é empregada somente durante o período da crise.
  • Durante o avançar da doença: a DPOC é infelizmente uma doença com evolução progressiva, ou seja, se o paciente não cessar com o tabagismo a tendência é que a doença piore com o passar do tempo. De tal forma que nas suas fases mais avançadas há grande destruição do tecido pulmonar comprometendo significativamente a oxigenação sanguínea, surgindo a hipoxemia. É nesse instante que se torna necessário o uso do oxigênio, que, ao contrário da sua utilização durante aa exacerbações, deve ser usado de forma contínua, durante toda a vida. Como o paciente passa a usar o oxigênio durante a maioria das suas atividades no domicílio, essa modalidade de emprego do oxigênio é denominada também oxigenoterapia domiciliar.

2 - Como se identifica a necessidade do uso do oxigênio:

Somente o médico é que poderá recomendar a oxigenoterapia para o paciente com DPOC. Para confirmar a hipoxemia e, por conseguinte reconhecer a necessidade do uso do oxigênio, o médico utiliza dois tipos de exame:

  • Oximetria de pulso: consiste na utilização de um pequeno aparelho que é colocado na ponta do dedo do paciente e fornece de forma indireta o grau de oxigenação sanguínea.
  • Gasometria arterial: consiste na quantificação do oxigênio presente em uma amostra de sangue, colhida diretamente de uma artéria.

3 - Benefícios da oxigenoterapia:

A oxigenoterapia promove uma melhora significativa na qualidade de vida dos indivíduos, proporcionando ganho no desempenho das atividades físicas e intelectuais.

Constitui na única arma terapêutica, além da cessação do tabagismo, capaz de reduzir a progressão da doença, prolongando, com qualidade, a vida do paciente.

No entanto, é importante salientar que esses benefícios são decorrentes da correção da hipoxemia, assim em pacientes sem hipoxemia o uso do oxigênio não traz qualquer tipo de benefício, podendo inclusive ser prejudicial ao paciente.

4 - Equipamentos necessários para a oxigenoterapia domiciliar:

Existem três tipos de equipamentos disponíveis para se realizar a oxigenoterapia domiciliar:

  • Cilindros de oxigênio: o oxigênio, sob a forma de gás comprimido, é armazenado em cilindros de alumínio ou de aço. Geralmente, são equipamentos grandes e pesados, prejudicando a locomoção do paciente para a fora do domicílio. Como a quantidade de oxigênio é limitada, é necessário que sejam trocados periodicamente. A duração do oxigênio vai variar de acordo com o tamanho do cilindro e de quantas horas por dia e em que quantidade o oxigênio é utilizado pelo paciente.
  • Oxigênio líquido: o oxigênio é armazenado sob a forma de líquido em um reservatório. Quando é liberado do reservatório, o oxigênio é convertido em gás, permitindo que o paciente possa respirá-lo. Essa forma de equipamento é mais leve que os cilindros. Além disso, permite que o próprio indivíduo transfira o oxigênio do reservatório principal (que é abastecido pela empresa fornecedora do oxigênio) para pequenas mochilas, que são facilmente transportadas, permitindo maior autonomia para o paciente. É o sistema que permite a maior mobilidade em termos de locomoção para o paciente, mas ainda o de custo mais elevado.
  • Concentradores de oxigênio: são equipamentos elétricos com capacidade de separar o oxigênio do ar atmosférico, concentrá-lo, armazená-lo e fornecê-lo ao paciente. Não necessitam ser recarregados, porém aumentam o consumo de energia elétrica.

5 - Formas de se administrar o oxigênio ao paciente:

Existem três maneiras de se administrar o oxigênio ao paciente:

  • Cânula nasal: é um pequeno tubo de plástico que leva o oxigênio do equipamento (cilindros, concentradores) até as narinas do paciente.
  • Cateter transtraqueal: nesse caso, o oxigênio é administrado diretamente na traquéia do paciente. Para tanto, é realizado um pequeno orifício no pescoço, onde será colocado o cateter (tubo fino) que trará o oxigênio do equipamento. Essa forma de administração permite que se utilize uma menor quantidade de oxigênio (economia de 30 a 40 % em relação à cânula), no entanto há necessidade de maiores cuidados locais e de se umidificar adequadamente o oxigênio.
  • Máscara facial: a máscara é utilizada nas situações em que se necessita administrar grandes quantidades de oxigênio para o paciente.

6- Prescrição do oxigênio:

O oxigênio, como qualquer remédio, só pode ser usado sob prescrição médica. O médico orientará, de acordo com as características do paciente os seguintes parâmetros:

  • Tipo de equipamento (cilindros, concentradores, oxigênio líquido).
  • Forma de administração (cânula nasal, máscara, cateter transtraqueal).
  • Necessidade do uso de dispositivo conservadores de oxigênio e de umidificadores.
  • Fluxo de oxigênio: o fluxo é o volume de oxigênio administrado ao paciente, usualmente utiliza-se a unidade litros/minuto para graduar o fluxo. De acordo com o grau de hipoxemia pode ser necessário usar fluxos maiores (7 litros/minuto) ou menores (1 litro/minuto). O fluxo pode ser alterado conforme a evolução da doença, a presença de infecções ou durante a realização de atividades físicas.
  • Quantas horas por dia utilizará o oxigênio: estudos têm mostrado que quanto maior o tempo de uso do oxigênio (medido em horas por dia) maior serão os seus benefícios. Assim, quando a hipoxemia estiver estabelecida, o ideal seria que o indivíduo usasse o oxigênio durante as 24 horas do dia. Alguns indivíduos somente desenvolvem hipoxemia durante a realização de atividade física ou durante o sono, nesses casos o oxigênio será recomendado para essas situações.

 

 
 
 
 
Produzido por OTIMIZE